Página inicial

Notícia > Educação

  • 18.11.2015 - 05:04

    Ministério Público da Paraíba pede abusividade da greve na UEPB

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte
    Asfora vê abusividade Asfora vê abusividade

    O Ministério Público da Paraíba entrou com uma ação civil pública, com pedido de liminar, de abusividade da greve na Universidade Estadual da Paraíba. A ação, que foi iniciada no final da tarde desta terça-feira (17), afirma que a greve, que já dura 240 dias, prejudica alunos e a sociedade.

    O MPPB afirma que o movimento grevista descumpre normas estabelecidas em lei, que determinam a manutenção de percentual mínimo das atividades educacionais na UEPB, durante a paralisação. O documento da ação, assinado pelo procurador-geral de Justiça Bertrand de Araújo Asfora, pede que a Justiça determine o imediato retorno dos professores e servidores grevistas às respectivas atividades, sob pena de multa diária de R$ 40 mil.

    A greve da UEPB foi iniciada no dia 19 de junho e, desde então, todas as atividades nos oito campi da instituição estão paralisadas por tempo indeterminado e as negociações não avançam.