Página inicial

Notícia > Policial

  • 01.11.2017 - 17:00

    A Operação Crida deve ganhar novos contornos na cidade de Teixeira; áudio circulando nas redes sociais compromete autoridades

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    A Operação Crida, desencadeada na cidade de Teixeira, Sertão paraibano, pelas polícias Civil e Militar, deve ganhar novos contornos no decorrer dos próximos dias. A prisão de Edmilson Reis Filho, filho do prefeito de Teixeira, conhecido como Nego de Guri, foi a ponta do iceberg para novas revelações, prisões, delações e até gravações que estão ganhando uma dimensão surpreendente nas redes sociais.

    Nesta terça feira(30), um áudio viralizou nas redes e deve, certamente, merecer investigação rigorosa da juíza da Comarca de Patos, Isabella Joseanne. Em uma das falas, a pessoa identificada como Jáder Pereira de Lira aponta a revolta do prefeito Nego de Guri contra o seu filho e seu motorista por ter deixado Stallone vivo.

    Para quem não sabe, Stallone é um jovem profissional liberal que começou a investigar, identificar e publicar nas redes sociais diversas irregularidades administrativas do prefeito.  Sofreu um atentado com disparos de espingarda 12 e, milagrosamente, escapou. Seu pai não teve a mesma sorte. Foi covardemente assassinado com um tiro de espingarda do mesmo calibre pelas costas, na subida da serra do Teixeira.

    O MOMENTOPB teve acesso aos áudios onde Jáder conta com riquezas de detalhe as conversas, o relacionamento com os elementos presos, a frieza do prefeito, o medo de ser assassinado e, o pior, a cobertura de autoridades do Poder Judiciário às ações delituosas.

    Na cidade de Teixeira não se fala em outra coisa. Se há veracidade ou não nas informações e no conteúdo do que foi amplamente divulgado, compete à justiça esclarecer.

    O MOMENTOPB deixa aberto o espaço para as partes litigantes prestarem seus devidos esclarecimentos, mas nunca fugindo da cobrança de que a justiça deve prevalecer, com punição severa e rigorosa aos malfeitores e os fora da lei, que em pleno século XXI insistem em reeditar a velha e ultrapassada política dos anos 30.