Página inicial

Notícia > Mundo

  • 20.01.2017 - 06:30

    Trump toma posse como novo presidente dos EUA nesta sexta

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

     Às 12h de Washington (15h em Brasília) desta sexta-feira (20), Donald J. Trump fará o tradicional juramento de posse perante o presidente da Suprema Corte americana, em frente ao Congresso americano, tornando-se o 45º presidente dos Estados Unidos.

    • Pela manhã, Trump, seu vice Mike Pence e suas famílias participam de uma cerimônia religiosa na Igreja Episcopal de Saint John, a poucos passos da Casa Branca. Posteriormente, Barack Obama e a primeira-dama, Michelle, darão as boas-vindas a Trump e sua esposa, Melania, com um chá. Os dois casais irão juntos em comitiva para o Capitólio.
    • 12h30: começa a cerimônia de posse, nas escadarias do Capitólio, com espetáculos musicais. Entre os convidados estarão legisladores, integrantes da Suprema Corte e diplomatas. Estarão também os ex-presidentes Jimmy Carter, George W. Bush e Bill Clinton, que estará acompanhado por sua esposa, Hillary Clinton, derrotada por Trump nas eleições. Por questões de saúde, o presidente George H.W. Bush não estará presente. A soprano Jackie Evancho terá a responsabilidade de cantar o Hino Nacional. Está prevista também a participação do grupo The Rockettes.
    • 14h30: primeiros discursos. Líderes religiosos farão orações. Clarence Thomas, integrante da Suprema Corte, tomará o juramento do vice-presidente Mike Pence.
    • 15h00: Trump repetirá o juramento presidencial, tomado pelo presidente da Suprema Corte, John Roberts. Para isso, serão usadas duas Bíblias: a utilizada na posse do presidente Abraham Lincoln e uma pertencente a Trump, que foi presenteada por sua mãe em 1955. Posteriormente, Trump discursa.
    • 15h30: fim da cerimônia. Posteriormente, mantendo uma longa tradição, Trump e Pence participam em um almoço no Capitólio.
    • 18h00 a 22h00: desfile de posse. O novo presidente e vice-presidente percorrerão os 2,4 km pela Avenida Pensilvânia, do Capitólio até a Casa Branca, acompanhados por 8.000 participantes que incluem representantes das Forças Armadas, escolas e universidades, grupos a cavalo, veteranos de guerra e até uma brigada de tratores.
    • 22h00 a 01h00: Trump, Pence e suas esposas participam em três diferentes bailes de gala. Outras festas estão programadas por toda a cidade.
    • Capítulo singular da história americana

       

      Quando Trump anunciou sua intenção de concorrer à presidência, poucas pessoas o levaram a sério e imaginaram que o empresário de 70 anos acabaria por escrever uma página singular na história do país.

      Atualmente, ele é menos popular do que qualquer novo presidente americano em quatro décadas, desde os anos de Jimmy Carter. Esse dado se repete em praticamente todas as pesquisas.

      Fiel a seu estilo, Trump atacou essas enquetes, lembrando que, durante a campanha eleitoral, todas as pesquisas previam a vitória de sua oponente, a democrata Hillary Clinton.

      "As mesmas pessoas que fizeram essas pesquisas eleitorais falsas, que estavam completamente erradas, agora estão fazendo estudos de aprovação. São tão corruptos quanto antes", afirmou no Twitter.

      Impulsivo e com um ego gigantesco, Trump desafiou todas as previsões e surpreendeu o mundo ao se tornar o sucessor do presidente Barack Obama na Casa Branca.

      Com discursos corrosivos que encontram ressonância nas frustrações e inseguranças dos americanos em um mundo em mutação, o magnata republicano foi a voz da mudança para milhões de cidadãos. Em sua campanha agressiva para a Casa Branca, o bilionário incendiou o Partido Republicano, incapaz de compreender seus eleitores e de responder às suas necessidades.

      Antes de iniciar a campanha, o empresário era mais conhecido por sua imensa fortuna, por seus hotéis luxuosos, campos de golfe e cassinos que levam seu sobrenome, assim como por seus divórcios que ganharam espaço na imprensa sensacionalista e por ser o apresentador do reality show “The Apprentice”. (G1)