Página inicial

Notícia > Política

  • 03.05.2018 - 19:33

    Ministério descredencia equipes de saúde bucal de João Pessoa e outras cidades paraibanas

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    Por absoluta incompetência dos gestores municipais que não fizeram as devidas prestações de contas com relação aos recurso oriundos Ministério da Saúde, 24 cidades paraibanas deixarão de receber as verbas para o atendimento da saúde bucal da população. Destacando nessa relação dentre outras as cidades João Pessoa, Campina Grande, Santa Rita, Pombal, Cajazeiras e Catolé do Rocha.

    No caso de João Pessoa, a situação do atendimento bucal já é bem sofrível e agora com o corte dessas verbas, cerca de 200 unidades de saúde deixarão de fazer a devida assistência odontológica a população de baixa renda.

    O gestores públicos sabem que necessitam periodicamente fazer relatório e prestação de contas dos recursos recebidos, mas graças a incompetência dos mesmos e sua legião de secretários e assessores, ocorre um grave e prejudicial descredenciamento desses, publicado no último dia 27 de abril no Diário Oficial da União e escondido espertamente pelos gestores relapsos, para que seja ignorado pela população.

    No caso de João Pessoa e Campina Grande seus gestores Luciano Cartaxo estão em plena campanha política pelo Estado afora para elegerem seus candidatos e certamente a saúde, pelo que se observa se encontra o caos, conforme já denunciaram os vereadores das duas cidades, só para ficar nas duas maiores prefeituras do Estado.

    O fato é que os gestores mesmo existindo uma portaria do Ministério datada de 2017, nem se deram ao trabalho de se cadastrarem no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos do da Saúde (SNES).

    Até que tais gestores e seus milhares de assessores consigam se organizarem junto ao Ministério da Saúde quem pagará tal conta para variar é a população das cidades descredenciadas.

    blogdopedromarinho