Página inicial

Notícia > Esportes

  • 19.08.2018 - 09:13

    Histórias de um Botafogo x Botafogo: ex-atletas do Tricolor relembram curiosidades sobre único jogo

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

     | ACidadeON/Ribeirao

    Botafogo e Botafogo-PB começam a decidir uma vaga na Série B do Brasileiro de 2019 neste domingo (19), às 19h, no Almeidão, em João Pessoa (PB), no jogo de ida das quartas de final da Terceira Divisão do Nacional. O confronto de clubes homônimos ocorreu antes em apenas um jogo oficial e, junto com ele, histórias que marcaram a carreira de grandes jogadores do Tricolor.  

    Um deles é o ex-atacante João Carlos Motoca, que tem motivos especiais para se recordar do duelo contra o Botafogo-PB, em 16 de julho de 1978, pela 3ª fase do Campeonato Brasileiro, que o Pantera venceu de virada, por 2 a 1. Por causa de uma lesão no menisco do joelho direito, Motoca foi obrigado a passar por cirurgia e ficou seis meses longe dos gramados. O retorno em alto nível era uma dúvida, mas ele aconteceu em grande estilo.  

     

    "Não estava cotado para jogar, mas fiz um esforço e deu tudo certo, pois marquei o gol da virada. Isso foi muito marcante por estar voltando de cirurgia delicada. Muita gente chegou a cravar que eu não jogaria mais. Pensaram até em me aposentar, então foi uma volta por cima", conta Motoca, que foi relacionado pelo então técnico Antoninho porque o Pantera já sofria com desfalques, como de Sócrates, líder técnico do time.

    Em campo  

    O time de 1978 também contava com o jovem ponta direita Paulo César Camassuti, de 18 anos à época, caindo nas graças da torcida. Porém, o titular Terto tinha a preferência da comissão técnica, mesmo com grande parte da torcida pedindo a entrada de PC.  

    Contra o Botafogo-PB, Camassuti entrou no decorrer da partida e também foi importante na conquista da vitória. "O Botafogo da Paraíba foi um adversário muito duro, com bom toque de bola e eu tive uma oportunidade boa para entrar naquele time que tinha craques como Terto, Sócrates, Arlindo e Motoca. Pude entrar e ajudar o Botafogo em um jogo que marcou o início da minha carreira", disse o ex-ponta direita.   

    Gol de placa de Arlindo Fazolin na memória  

    A vitória de virada, por 2 a 1, contra o Botafogo-PB, há 40 anos, teve uma cena em especial, que não sai da cabeça do ex-jogador Paulo César Camassuti:o primeiro gol do Tricolor marcado pelo ex-atacante Arlindo Fazolin em um lance de pura habilidade e precisão. Após uma cobrança de escanteio, Mário subiu de cabeça junto com outros três atletas do time paraibano e, na sobra da bola, Arlindo mostrou recurso para fazer um verdadeiro gol de placa. 

    "Foi um dos gols mais bonitos que eu vi em todos os 20 anos que joguei a bola. O lance aconteceu no gol de entrada do Santa Cruz e o Arlindo estava no bico da grande área, próximo ao banco de reservas do time adversário. Depois da disputa no alto, ele pegou de primeira, a bola viajou e foi cair no ângulo do outro lado. Foi uma pintura e, com certeza, foi o gol mais bonito que o Arlindo fez com a camisa do Botafogo", ressaltou Paulo César Camassuti.   

    No Almeidão  

    Meio de campo concentra dúvidas  


    O técnico Léo Condé (foto) não revelou quais são os atletas escolhidos para atuarem no meio de campo. Apenas Yuri está garantido. Serginho, Matheus Jussa, Leandro Salino, Éverton Santos e até Tchô, que se recuperou de contusão no ombro, brigam por duas vagas.  

    "O Tchô vem fazendo uma semana de trabalho interessante e, se continuar nessa batida, ele fica como opção, podendo iniciar ou no banco", afirmou Condé. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o lateral- -esquerdo Daniel Vançan dará lugar a Peri no jogo contra o Belo.