Página inicial

Notícia > Policial

  • 27.07.2018 - 05:36

    Gaeco denuncia ex-prefeita do Conde e mais 10 pessoas por integrarem organização criminosa

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    O Ministério Público da Paraíba denunciou a ex-prefeita do Conde, Tatiana Lundgren Correa de Oliveira, e mais 10 pessoas por promoverem, constituírem e integrarem uma organização criminosa, que atuou no município entre os anos de 2013 e 2016. O órgão ministerial também pediu à Justiça o sequestro de R$ 27 milhões, que teriam sido desviados dos cofres públicos pelo grupo. O pedido foi deferido, na semana passada.

    De acordo com as investigações do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), a Orcrim era formada por dois núcleos: dos agentes públicos e dos operadores. Além de Tatiana Lundgren, integravam o primeiro grupo, Francisco Cavalcante Gomes, ex-procurador do Município; Andrea Soares da Silva, ex-tesoureira da Prefeitura; Ilka Soares Correa de Oliveira, então controladora interna do Município, e Victor Hugo Ferreira Braga, tabelião substituto de cartório.

    Já o ‘núcleo dos operadores‘ era formado por Clóvis Marinho Falcão Leal, sócio-administrador da empresa Plataforma; Vailson Oliveira Nascimento, ex-secretário particular da prefeita; Waleska dos Santos Perônico, ex-secretária particular; Alex Martins da Silva, companheiro de Tatiana e policial da PM; Clodoaldo Fernandes, empresário, e Hildebrando Fernandes, irmão de Clodoaldo. O crime cometido pelo grupo está previsto no artigo 2º da Lei 12.850/2013. A denúncia foi feita no último dia 5 de julho.

    Sequestro de bens     

    Os mesmos 11 denunciados também foram alvos de medida cautelar de constrição patrimonial, pedida pelo Ministério Público e deferida pela juíza Daniere Ferreira de Souza, no último dia 17. O MPPB estima que R$ 27 milhões foi o valor desviado pelo grupo, equivalendo a 10% sobre os valores dos contratos da Prefeitura do Conde, entre 2013 e 2016.

    Segundo o Ministério Público, Andrea Soares da Silva já havia procurado o Gaeco, em setembro do ano passado, e entregou um apartamento que estava em seu nome. Este ano, Francisco Cavalcante Gomes também procurou o Ministério Público e foi decidido que ele está impossibilitado de comercializar seu patrimônio.

    Lavagem de dinheiro     

    No último dia 27 de abril, o Gaeco denunciou a ex-prefeita do Conde, Tatiana Lundgren, e a ex-secretária de Finanças do Município, Andrea Soares da Silva, por integrarem um esquema de lavagem de dinheiro, através de desvios de recursos públicos, quando eram gestoras no Município. O dinheiro desviado foi empregado na aquisição de imóveis, em nome de ‘laranjas‘. A denúncia foi registrada sob o número 0003990-86.2018.815.2002, na 2ª Vara Criminal da Comarca da Capital. (clickpb)