Página inicial

Notícia > Municipal

  • 07.07.2014 - 17:01

    Balancetes da Prefeitura de Patos já estão na Câmara

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte
    Prefeita Chica Motta Prefeita Chica Motta

     A presidente da Câmara de Vereadores de Patos (Casa Juvenal Lúcio de Sousa), Nadigerlane Rodrigues, concedeu entrevista à imprensa nesta segunda-feira (07), e na oportunidade, esclareceu sobre a questão do bloqueio das contas da Prefeitura de Patos, assunto veiculado neste mesmo portal de notícias na manhã de hoje.

    Segundo a parlamentar, existe uma resolução que determina o envio dos balancetes da prefeitura para o poder legislativo, e que a prefeitura vem cumprindo tal determinação.

    “Já enviamos uma certidão à Prefeitura, para que a mesma enviasse ao tribunal no sentido de comprovar o recebimento dos balancetes. Os balancetes foram entregues, porém, a casa não dispõe de espaço para o arquivamento, tendo em vista que se trata de uma grande quantidade de cópias físicas dos documentos. Em uma visita do próprio relator do Tribunal de Contas a esta casa, foi informado que não disponibilizamos de espaço para esse arquivamento. Mas diante da exigência nós já adequamos um local, e as cópias dos balancetes já estão à disposição da Câmara”, explicou a vereadora Nadigerlane Rodrigues.

     

    O secretário de Controle Interno da Prefeitura de Patos, Joanilson Guedes, confirmou que o município sempre enviou os balancetes, inclusive com a documentação anexa, mas por impossibilidade de armazenamento, a câmara preferiu receber apenas os balancetes, deixando a parte anexa em poder do município.

    “Para que nunca houvesse dúvidas quanto ao envio do resumo desses balancetes, nós sempre encaminhamos também por meio eletrônico. Como a auditoria do Tribunal não localizou essa documentação por meio físico, recomendou então o bloqueio das contas. Automaticamente solicitamos da câmara de vereadores a comprovação do envio dos balancetes e dos anexos, junto ao Tribunal de Contas. Com isso, ficou tão claro a nossa prestação de contas que, após 48 horas, o tribunal já havia revogado a sua decisão de bloqueio das contas. Isso mostra que não houve nenhuma irregularidade, apenas falta de informação junto ao Tribunal. Portanto, não há mais possibilidade de contestação alguma”, relatou.