Página inicial

Notícia > Policial

  • 31.10.2018 - 16:18

    ASSASSINO É PRESO: estuprou e matou jovem após dar carona em SP

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    morte da adolescente Rayane Paulino Alves, de 16 anos, encontrada com um cadarço enrolado no pescoço, ganhou mais um capítulo nessa terça-feira (30). Michel Flor da Silva, 28, suspeito de dar carona e assassinar a jovem, foi preso pela polícia de Guararema (SP). A corporação acredita que, antes de morrer, a garota foi estuprada. Silva nega.

     

     

    Ele afirmou que a relação sexual foi consensual e, depois do ato, Rayane, que ficou desaparecida por oito dias, "surtou". A vítima havia saído de uma rave, entre as cidades de Mogi das Cruzes e Guararema, e foi achada morta no último domingo (28). Michel viu a adolescente sozinha em uma rodoviária, onde pegaria um ônibus para Mogi.

    Em entrevista ao G1, o delegado Rubens José Ângelo disse que Michel estava trabalhando na rodoviária como segurança e se ofereceu para levá-la até a casa dela. "Michel confessa cabalmente a prática do crime. Ele diz que encontra Rayane no terminal rodoviário de Guararema e ela estava meio cambaleando. Em dado momento ela sentou em um banco naquela rodoviária", disse o delegado.

    "Ele ofereceu uma carona, perguntou se ela estava bem. Ofereceu uma água e ela não aceitou. Ofereceu a jaqueta para ela se esquentar. Ela também não aceitou. Daí nesse momento ele oferece uma carona", continua o delegado. Ele ainda acrescentou que o suspeito contou que a jovem queria curtir a noite, mudando o rumo da viagem para Jacareí. "Eu não acredito nessa versão. Acredito que ele já tenha levado ela para estuprá-la", afirma Ângelo.

    Outro lado

    "Segundo a versão dele, que talvez seja isolada, ele disse que Rayane se arrependeu e teria dito o seguinte: ‘olha o que você fez comigo, você me estuprou! Meu pai é polícia, ele vai te matar‘. É uma versão dada pelo Michel, que é isolada. E, neste momento, Rayane teria dado um chute nele. E ele, seguidamente, aplicou um golpe mata-leão no pescoço de Rayane porque ele é lutador de artes marciais, capoeira, há mais de 12 anos, e ela desfaleceu", explica Ângelo.

    Versão da polícia

    Para o delegado, Rayane foi violentada em Jacareí, local onde o celular dela foi encontrado. Dias depois, a polícia descobriu que havia sido feita uma chamada para o 190. Desesperado ao vê-la desfalecida, Michel, segundo a corporação, levou a jovem para área de mata.

    "Ele tem curso de primeiros socorros. Ele aferiu o pulso de Rayane, bem como a veia jugular do pescoço. Ela ainda estava viva. Ele vendo isso e temendo que fosse descoberto o estupro, ele pegou a bota de Rayane que estava no assoalho do banco de passageiro dianteiro, do lado de Rayane, pegou o cardarço, colocou em seu pescoço até matá-la", detalhou.

    Prisão

    Desde domingo, dia das eleições, a polícia já estava com todas as provas contra Michel, mas, por causa da lei eleitoral, ele não foi preso. No entanto, a prisão temporária do segurança foi decretada. Ele vai responder por homicídio quadruplamente qualificado, bem como o crime de estupro. "Existem quatro qualificadores: motivo torpe, recurso que dificultou a defesa da vítima, asfixia e ocultar a vantagem de outro crime, que seria o estupro", detalhou o delegado.

    POR NOTÍCIAS AO MINUTO