Página inicial

Notícia > Esportes

  • 10.02.2018 - 08:56

    Após protesto da torcida, Botafogo tenta se reabilitar contra o Flamengo

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

     O Botafogo está adotando todas as estratégias possíveis para fugir da pressão às vésperas das semifinais da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. No sábado o Glorioso encara o Flamengo, às 16h30 (de Brasília), no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ), e precisa vencer para ser finalista. Porém, a derrota de 2 a 1 para a Aparecidense de Goiás, que gerou a eliminação na Copa do Brasil, transformou o clube em um verdadeiro caldeirão. Muros da sede foram pichados e a torcida recebeu o elenco no aeroporto com pedradas.

    Para se proteger o clube solicitou a presença da Polícia Militar no treino desta manhã de quinta-feira, que foi fechado para a imprensa. Apenas a entrevista coletiva foi concedida e justamente por dois atletas hoje tidos como incontestáveis pela torcida: o goleiro Jefferson e o zagueiro Igor Rabello. O defensor falou da revolta dos torcedores.

    “Não foram todos os torcedores que agiram com violência. A maioria da torcida inclusive repudia isso, ainda mais no momento que estamos vivendo na cidade do Rio de Janeiro. Nós jogadores sempre pregamos a paz.  Vemos crianças sendo mortas a tiro, assassinatos, e nós sabemos a importância de levar paz. E ser recebido dessa forma foi muito triste, saímos como bandidos pelos fundos”, disse Jefferson.

    O zagueiro concordou.

    “Torcida do Botafogo tem todo direito de fazer protesto, levar cartaz, mas da forma que foi todo mundo acha errado, gerando violência. É algo que não concordamos, se uma pedra daquela acerta alguém poderia ir para o hospital”, disse o defensor.

    Na visão do goleiro, o técnico Felipe Conceição vai saber lidar com a presão. Mas ele reconhece que o único caminho agora é eliminar o Flamengo.

    “Só temos uma maneira agora, é vencer o Flamengo. Claro, respeitando o adversário, pois não vai ser fácil. Vamos suar sangue lá dentro para conseguir a classificação. Sobre o Felipe, sempre vai existir pressão, mas as coisas mudam muito rapidamente. O Felipe sabe da pressão, é novo mas já passou por diversas coisas. Perdeu a final da Copa do Brasil Sub-17, já viveu isso. Jogadores também. Vamos esfriar a cabeça” declarou.

    O elenco do Botafogo volta a treinar nesta sexta-feira pela manhã e depois começa o período de concentração.

    PREJUÍZO FINANCEIRO

    A eliminação na Copa do Brasil foi um duro golpe para os cofres do Botafogo. Caso tivesse pelo menos empatado com a Aparecidense e avançado para a segunda fase, o Glorioso receberia uma cota de R$ 1,2 milhão. Porém, a derrota por 2 a 1 acabou fazendo com que apenas o R$ 1 milhão pagos pela participação neste duelo se tornasse a receita com a competição mata-mata em 2018.

    Logicamente que o Botafogo esperava faturar muito mais com a Copa do Brasil. Uma visão pessimista dentro da diretoria previa pelo menos passar das duas primeiras fases, o que já seria o suficiente para garantir pelo menos R$ 5 milhões.

    No ano passado o Botafogo foi eliminado pelo Flamengo nas semifinais e faturou com as cotas da CBF cerca de R$ 17 milhões. O campeão da Copa do Brasil vai ganhar este ano R$ 50 milhões.