Página inicial

Notícia > Policial

  • 17.05.2018 - 06:40

    Acusados de matar Vivianny são condenados a mais de 20 anos de prisão

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    Os dois acusados de matar a jovem Vivianny Crisley  foram condenados à pena de mais de 20 anos de prisão. O julgamento dos réus terminou durante a madrugada desta quinta-feira, após quase 12 horas de duração.

    Fagner das Chagas pegou 22 anos de prisão em regime fechado e Jobson Barbosa, 24 anos. O terceiro acusado já havia sido julgado. Allex Aurélio foi condenado a 26 anos. Ao crime de homicídio qualificado foi somado o sequestro e ocultação de cadáver.

    Durante o julgamento, eles chegaram a alegar que foram torturados para confessar que teriam cometido o crime. Jobson disse que a tortura ocorreu na Central de Polícia do Geisel, em João Pessoa, e que o delegado o obrigou a ingerir bebida alcoólica e que teve um objeto penetrado no ânus. Porém, ele não disse quem era o delegado. Já Fagner também alegou ter sido torturado, mas não deu detalhes. Porém, a Promotoria do Ministério Público da Paraíba disse que laudos médicos comprovam que não houve tortura.

    Além de negar que houve tortura, a Promotoria alegou ainda que os três são “assassinos homicidas sem apego à vida humana e que mataram Viviane porque ela gritou”. Conforme o MPPB, as provas nos autos provam claramente a participação do Fagner e do Jobson em todo o crime.

    Os dois alegaram durante o julgamento que não conheciam Vivianny e que a conheceram naquele dia, no bar. Eles também negaram participação no crime.