Página inicial

Notícia > Policial

  • 09.08.2017 - 05:59

    Laudo do IPC confirma que jovem foi assassinada com tiro pelas costas

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

     A perícia do Instituto de Polícia Científica (IPC) descartou a tese de suicídio ou tiro acidental defendida pelo advogado de Yuri Ramos Coutinho Nóbgrega, 20 anos, namorado e suspeito de assassinar a jovem Luanna Alverga, também de 20 anos. O crime ocorreu no dia 23 de julho, no bairro do Roger. Para a perícia, houve mesmo homicídio, conforme relato do Gerente Operacional do IPC, Marcelo Burity.

    “O laudo confirma as características de homicídio e traz detalhes da arma e do momento do crime, como a distância da arma para a vítima, que era de 50 centímetros, e o posicionamento de Luanna, que estava virada de costas para Yuri no momento do disparo. O tiro acertou um pouco acima da orelha”, afirmou Marcelo Burity.

    Ele também descartou a ideia de tiro acidental ou suicídio: 

    “A arma estava em perfeito funcionamento e só disparou porque alguém apertou o gatilho. Também foram feitos testes que descartaram um eventual suicídio da jovem. Agora, o laudo foi para a Polícia Civil, que vai dar continuidade a investigação”, concluiu Marcelo Burity. (Com portais)